domingo, 2 de dezembro de 2007

Quando um povo por seu povo se esmera
Que dirá de quem herdar o seu legado
Se de novo se reparte dessa esfera
Cada tribo lhe cobrando o negado

Que será de quem não cobra mais que o pouco
Se por pouco não ceifaram os ferozes?
Sei quiçá que sabe mais sem ser mais louco
O contente que a contenda dos algozes

Antes fosse a crueldade causa laica
Mas de cada amor brotaram maus valores
Inclusive da pujança por judaica

Paciência ao que reajo só com flores
Sapiência que a chamo assim hebraica
Chamas que acendem tais meigos calores

Um comentário:

Letícia disse...

Gostei muito desse post e seu blog é muito interessante, vou passar por aqui sempre =) Depois dá uma passadinha lá no meu, que é sobre frases e poesias, espero que goste. O endereço dele é http://mil-frases.blogspot.com. Um abraço.